quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Música para os ouvidos 14(?)

Muitas vezes pensei em migrar o "Música Salva!" pra cá, e acabar com aquela besteira de incomodar vocês com aqueles e-mails inconstantes e sem nexo. Bem, acho que esse dia chegou. E acho que é hoje.

O problema é que, há um tempo, venho padecendo de um bloqueio criativo fortíssimo. E isso me impede de enviar novos episódios. Por isso, por enquanto, vou só fazer umas republicaçõezinhas, de leve. Nada de novo.

Este foi o primeiro "Música para os ouvidos" - o número 14 - que enviei pra vocês depois daqueles dois anos e pouco de loucura total. Os 13 episódios anteriores eu perdi, infelizmente. Não sobrou nada nos meus arquivos, como vocês bem sabem.

Este foi o último capítulo antes do "Música para os ouvidos" se transformar em "Música Salva!" e foi enviado pra vocês por e-mail em 13 de maio de 2013.

Os que já leram não precisam ler de novo, estão livres dessa tarefa árdua.

Mas, como bem disse o Toquinho:

video

Então, vâmo lá...

***

Música para os ouvidos 14(?)

Se isso não lhes parece uma coisa assim tão magnífica, então eu preciso, definitivamente, andar mais com vocês. Enquanto assisto a isso - bastante impressionado - me pego refletindo sobre dois pontos básicos:

1º - A versão asiática do programa do Raul Gil é com certeza mais interessante;

2º - Eu quero (preciso!) muito fazer parte dessa gangue!

É isso. Enjoy.
Abraços.


Cha Sun Chong et al. - "Our Kindergarten Teacher"


P.S.: Boa parte dos comentários do vídeo me contradizem. Mas nada demais, tudo em termos gentis, como "creepy", "weird" e "unnatural". Talvez seja assim pra alguns de vocês também, no entanto, essa cena me chamou a atenção de uma forma positiva. Mas sei lá, pode ser só o meu lado "creepy-weird-unnatural" gritando mais alto.

P.S.2: Se você está se perguntando de uma forma enfastiada o porquê de outro e-mail dessa série, depois de mais de dois anos desde o último episódio, por favor, não desperdice o seu tempo mais do que já desperdiçou com essas poucas linhas. Eu poderia tecer uma justificativa, mas ela simplesmente não valeria a pena. Portanto, preferi sintetizá-la em seis letras e um sinal diacrítico:

SPAM-ME

13 de maio de 2013


***

De volta aos dias atuais:

Obviamente, desde que lhes escrevi este e-mail tudo o que fiz na minha vida foi me preparar para ser aceito por estes pequenos heróis. Enviei meu currículo inúmeras vezes, e fui recusado - com muita polidez - em todas elas. Sugeriram que já sou muito velho e foram absolutamente sinceros em relação ao fato de que toco mal - "falha que não pode deixar de ser considerada, senhor", conforme me escreveu a garotinha do meio, a Cha Sun Chong, líder da gangue.

Concordo com ela.
Mas, "sem mágoas, estamos aí".

Um comentário:

  1. Eles me aceitaram na gangue deles!

    Vou lavar e passar as roupas usadas nos shows!

    uhuuuuulll!

    ps: Estou de mudança para a Coreia, aliás, China, quer dizer, Vietnam ou Camboja!

    ResponderExcluir

Comente aqui!